Destaque

Humana Seguros recebe título de sócia-parceira do CVG-SP

24/06/2022

Associada ao CVG-SP desde maio de 2021, a Humana Seguros recebeu o título de sócia-parceira no dia 22 de junho, durante almoço realizado no Terraço Itália. O título foi entregue pelo presidente do CVG-SP, Marcos Kobayashi, para Rodrigo Bertacini, filho do saudoso Osmar Bertacini, e para Amélia Cerqueira, fiel colaboradora que atua na empresa desde a fundação.

 

Em uma cerimônia marcada pela emoção, Kobayashi destacou a importância de ter a Humana de volta ao quadro associativo e a simbologia que a iniciativa representa. “O CVG-SP está retornando à sua origem ao instalar a sua sede no antigo endereço, no centro da capital, desta feita nas dependências da Humana Seguros, em espaço gentilmente cedido pelo Rodrigo”, disse.

Kobayashi mencionou, ainda, o brilhante trabalho que Rodrigo Bertacini vem fazendo à frente da Humana, desde que decidiu assumir a empresa, após o falecimento do pai, em 2019, mesmo sem ter nenhuma experiência na área, pois trabalha como piloto de avião. “Com seu talento e empreendedorismo, o Rodrigo está recriando a Humana, trazendo inovação e modernidade”, disse.

Rodrigo, que compôs a mesa de trabalho no evento ao lado do superintendente da Susep, Alexandre Camillo, do presidente da FenaPrevi, Edson Franco, além de Kobayashi, manifestou seu sentimento em relação ao momento. “Estar aqui, hoje, ao lado dessas pessoas ..., ele, lá em cima, deve estar ... muito orgulhoso”, disse, com a voz embargada, referindo-se ao seu pai.

Ele lembrou da difícil decisão que tomou há mais de três anos, quando decidiu assumir a empresa. “Foi um desafio, mas foi natural. A Humana está viva porque, simplesmente, existe como razão social e era preciso continuar”, disse. Rodrigo contou que naquele momento percebeu que não era possível parar, por muitas razões.

“Havia muitas pessoas envolvidas, pessoas como a Amélia e os 1,2 mil corretores que trabalham com a gente, além de várias entidades e do nome do Osmar, que é forte. Por isso, o que posso dizer é muito obrigado”. Um pensamento, segundo ele, também serviu de estímulo para continuar: o papel da Humana de contribuir para a cultura do seguro de pessoas.

Rodrigo aproveitou uma fala do superintendente da Susep, que atribuiu as mudanças no mercado, como o open insurance e o sandbox, ao desejo da sociedade. “Concordo com o Camillo, porque na aviação ocorre algo parecido, ou seja, a sociedade mostra o caminho. No seguro ou na aviação, temos de fazer o que o cliente quer”, disse.

Na sua visão, a Humana tem a missão de disseminar o seguro. “O papel de todos aqui é promover o acesso do cliente a informação de qualidade, baseada em fatos, porque assim o mercado andará para a frente de forma automática. Precisamos atender ao segurado, porque sem ele não existe mercado”, disse.

Kobayashi concordou e acrescentou que o mercado de seguros é tradicional e, atualmente, está passando por muitas mudanças. “Existe uma série de ações em curso, muitas novidades, abertura, mas tudo com responsabilidade, sempre pensando no cliente”, disse. Já o CVG-SP, que carrega parte dessa tradição, está voltando às suas origens e ficando mais próximo da Humana.

“A Humana é a casa de vocês, como sempre foi, e agora mais do que nunca. Sinto-me muito honrado. Em nome da Amélia e de todos os outros, obrigado”, disse Rodrigo.

 

Fonte: CVG-SP