Destaque

Happy hour virtual do CVG-SP marca fim de ano

19/12/2020

O encerramento das atividades do CVG-SP em 2020 foi marcado por uma happy hour virtual, realizada no dia 15 de dezembro, com a participação de diretores e colaboradores. Neste ano, por causa da pandemia, a tradicional festa de confraternização, um dos eventos mais aguardados do mercado, deu lugar a uma comemoração singela pela tela do computador, mas com o mesmo clima de amizade e união.

Para garantir o brinde, todos os convidados receberam no mesmo dia em seus respectivos endereços uma garrafa de vinho envolta em um guardanapo estampado com logotipos do CVG-SP. A descontração do evento motivou alguns a relatarem casos pitorescos do mercado de seguros e das suas próprias carreiras.

O fotógrafo Antranik Asarian, por exemplo, que participou juntamente com o filho Douglas, contou como iniciou na área de seguros na década de 70, a partir de um convite de José Francisco de Miranda Fontana. Desde então, ele já fez a cobertura fotográfica de milhares de eventos da área de seguros, tantos que sequer se arrisca a contabilizar.

A reunião entre amigos também teve espaço para recordar pessoas queridas, como o saudoso Osmar Bertacini, ex-presidente do CVG-SP. Ele foi lembrado, especialmente, por sua quase onipresença em todas as festas de fim de ano do mercado. Para se ter uma ideia, no final de 2018 ele marcou presença em cerca de 24 eventos festivos.

O presidente do CVG-SP, Silas Kasahaya, e o presidente eleito Marcos Kobayashi contaram episódios pitorescos do início de carreira. Um deles, que marcou pelas dificuldades enfrentadas, ocorreu muitos anos atrás no Espírito Santo, onde ambos deveriam apresentar ao cliente um produto de seguros.

Kobayashi se divertiu ao lembrar que carregou inúmeras pastas com o material impresso do produto e mais um pesado retroprojetor. Mas, o que ele e Kasahaya não esperavam é que a lâmpada do retroprojetor queimasse na hora da apresentação. Apesar do sufoco, hoje, a recordação desse caso rende muitas risadas.

O corretor de seguros e diretor eleito do CVG-SP Maurício Leite comentou a evolução do mercado de seguros, lembrando que no início de sua trajetória a formação profissional era na prática. “Nossa formação foi na raça, pois, não havia escolas de seguros”, disse.

Analisando sua jornada no mercado, Kobayashi manifestou gratidão pelas oportunidades. “É um privilégio chegar aonde cheguei”. Kasahaya encerrou o evento lembrando das mais de 180 mil vítimas fatais da covid-19. “Nossos sentimentos às famílias que perderam algum ente querido”. No encerramento, ele convidou para um brinde, desejando a todos paz e saúde e, à nova diretoria, sucesso.

 

Fonte: CVG-SP