Destaque

Dia Continental do Seguro permanece com propósitos atuais 73 anos depois

14/05/2021

Comemorado no dia 14 de maio, o Dia Continental do Seguro foi criado em 1948, durante a Segunda Conferência Hemisférica de Seguros, realizada no México. A data foi escolhida em homenagem ao dia de abertura da Primeira Conferência Hemisférica de Seguros, realizada entre 14 e 16 de maio de 1946, em Nova Iorque. O objetivo foi ressaltar a importância social e econômica do seguro e estimular a aproximação entre os profissionais dos países. Hoje, 73 anos depois, a data se consolidou como um símbolo da importância do seguro e da integração entre os países para o desenvolvimento comum de todos.

A instituição do Dia Continental do Seguro também foi marcada pela criação da Federação Interamericana de Seguros (Fides), que, naquela época congregava 14 países. Atualmente, 18 países da América Latina, mais Estados Unidos, Portugal e Espanha participam da Fides, uma organização sem fins lucrativos que cuida da imagem institucional do seguro e estimula o seu desenvolvimento por meio do intercâmbio entre os mercados.

Na edição nº 359 da Revista de Seguros, publicada em maio de 1951, o articulista Luiz Mendonça explica que o propósito de se criar um dia para o seguro foi também o de divulgá-lo institucionalmente. “A ideia foi o de exercitar-se, através dos mais adequados atos de divulgação, e atendidas as condições locais de cada país, uma propaganda neutra e coletiva, capaz de levar ao grande público das nações americanas um conhecimento exato das ideias fundamentais da Previsão e do Seguro”.

Consta no livro História da Fides (publicado em 2015), que na Primeira Conferência, a data escolhida para a comemoração do Dia Continental do Seguro era o dia 31 de dezembro. A sugestão do dia 14 de maio partiu da delegação chilena, em 1948, em homenagem à primeira edição do evento. O livro também relata que o nascimento da Fides, que somente seria batizada com este nome em 1973, por sugestão do México, em alusão ao significado do termo em latim “boa-fé”, foi antecedido pelo primeiro Congresso Latino-americano de Seguradores, realizado no Chile em 1938.

Dois anos depois, a primeira Conferência, que deveria ocorrer em Buenos Aires, em 1940, foi suspensa por causa da II Guerra Mundial e realizada somente após o fim do conflito, em 1946, graças aos esforços de Nelson Rockefeller, coordenador de Assuntos americanos no Departamento de Estado. Naquele ano, o evento debateu a importância da introdução da matéria seguro em escolas e universidades, bem como da necessidade de formação dos profissionais (prevendo a inclusão de cátedras de seguros nas universidades).

Em 1948, os países representados na segunda edição do evento manifestaram preocupação com a utilidade social do seguro, a ideia era levar a proteção para os mais pobres. Atualmente, a Fides já realizou 37 conferencias, duas delas no Brasil (1954 e 1979). Em 2023, o Brasil voltará a sediar o evento.

 

Fonte: CVG-SP | Texto: Márcia Alves