Destaque

Clube da Bolinha de SP terá a primeira mulher no cargo de reitora

29/08/2021

O Clube da Bolinha de São Paulo, tradicional instituição que reúne lideranças do mercado há mais de 70 anos, terá como reitora a diretora de operações da Tokio Marine, Andrea Louise Ruano Ribeiro, a primeira mulher no cargo. “É uma honra e mais um importante avanço para a representatividade feminina no setor. Demonstra também que a melhor tradição é a que reconhece a evolução”, diz a nova reitora.

Andrea sucede a Celso Luiz Dobarrio de Paiva, justamente o executivo que no aniversário de 60 anos da instituição, em 2008, sugeriu multiplicar esforços para aumentar o número de membros femininos no clube. Naquele momento, há 13 anos, apenas Christina Roncarati e Therezinha Corrêa faziam parte do grupo e eram as pioneiras que abririam o caminho para a entrada de mais executivas.

“Como lideranças, devemos, além de adaptar e estimular os negócios no novo ambiente, garantir que o setor continue cumprindo seu papel socioeconômico nesse período crítico, protegendo a saúde e o patrimônio dos brasileiros, mitigando as perdas e permitindo a volta dos investimentos. A retomada depende de um setor forte e dinâmico e nós vamos cumprir esse compromisso com a sociedade”, diz Andrea.

O objetivo do Clube da Bolinha é reunir lideranças fora do ambiente corporativo, aproximar os membros e estimular o compartilhamento de ideias e experiências. Com isso, promover a convivência agradável e contribuir para o desenvolvimento do setor. Confira a nova diretoria eleita:

Diretoria do Clube da Bolinha SP - 2021/2023

Reitora: Andrea Louise Ruano Ribeiro

Secretário: Mário Jorge Rodrigues Coelho da Cruz

Tesoureiro: Fernando Simões

Conselho Diretor: José Roberto Macéa e Maria Amélia Saraiva

História

Na noite de 30 de agosto de 1948, Dimas de Camargo Maia, executivo da Home Insurance, foi o primeiro a chegar na Pizzaria Telêmaco, na Avenida Ipiranga, centro de São Paulo, para um encontro marcado com os colegas Humberto Felice Junior e João de Paula Souza Cabral, da North British. Diz a história que o garçom se aproximou e perguntou se ele jantaria sozinho. “Não, não, seremos uns 3. No máximo 4. Mas muito breve espero lotar o salão”, respondeu o primeiro reitor do Clube da Bolinha, fundado poucas horas depois.

No jantar, com apenas 3 participantes, Dimas propôs: “Amigos, precisamos de soluções, porque as palavras já se gastaram. Vamos fundar um Clube em que possamos debater com a franqueza dos amigos os nossos problemas comuns. Vamos tentar, amparados pela amizade, superar os obstáculos que enfrentamos? ”.

Vários anos depois, Dimas lembrou que com o tempo e unidos pelos princípios originais “chegaram Giovani Meneghini, Ozório Pâmio, Alberico Ravedutti Bulcão, Dalton de Azevedo Guimarães, Décio Costa, Gilson Cortines de Freitas, Seraphim Raphael Chagas Góes...” e tantos outros que estiveram à frente do mercado paulista desde os anos 1950 ao mesmo tempo em que frequentaram os famosos jantares da última terça-feira do mês.

Atualmente, o Clube da Bolinha tem 120 sócios ativos que, como previsto no passado, lotam o salão.

 

Fonte: Ideia e Conteúdo / Vinicius Antunes